Verdade e Liberdade

  •    Desde criança aprendi que a mentira é algo no mínimo feio. Se não tivesse nenhuma outra explicação ou justificativa para não mentir, essa me servia: É feio. Feio era algo para não ser desejado, buscado, cultivado, aceito, apreciado. Fui crescendo e percebi que feio é um conceito altamente relativo. Feio para um, bonito para outro. Então passou a não me servir mais essa definição: “Mentir é errado porque é feio”. Deve haver algo mais plausível e justificável para considerar que, faltar com a verdade é inadequado. Surge então uma série de conceitos éticos e morais que vão clareando essa questão. A verdade precisa ser preservada a qualquer preço porque o contrário dela, no caso a mentira, pode escravizar.

    Mente-se em alguma situação, pode ser a mais justificável possível, e logo vem aquele sentimento ou pensamento: – Até quando? – Será que alguém vai perceber, descobrir, rastrear? Aí começa o fim da liberdade. Começa o caminho da insegurança por falta da verdade.

    Quando Jesus Cristo subiu ao céu, ele deixou uma promessa que foi cumprida no dia de Pentecostes. “Enviarei o espírito da verdade…quando o Espírito da verdade vier, ele os guiará em toda a verdade … e a verdade os libertará.” Daí deduzo e creio que sem verdade é mais difícil encontrar ou permanecer em liberdade.

    Liberdade é uma das condições mais cobiçadas pela humanidade. Em nome da liberdade já se travaram as mais sangrentas batalhas. A opressão e o desrespeito estão nas pautas das instituições humanitárias mais notáveis do nosso tempo. Tudo o que ameaça a liberdade torna-se repugnante aos olhos dos cidadãos de consciência bem orientada. Qual seria essa “boa orientação de consciência?” Creio que para prezar, lutar, defender e pregar a liberdade seja necessário ter um bom parâmetro de construção dos princípios norteadores da liberdade. Minha leitura, a partir das minhas experiências de vida, é que, não é possível ter parâmetro consistente na construção da liberdade, sem uma consciência muito bem orientada e firmada no princípio da verdade. Onde a verdade encontra-se ameaçada por qualquer motivo, seja por interesse pessoal, comunitário ou de classes, constitui-se aí uma ameaça altamente perigosa para a liberdade.

  • Quando Deus deu vida ao ser humano, ele a deu com o distintivo áureo da liberdade. O ser humano foi criado para a liberdade e foi por um ato mentiroso que essa liberdade se viu ameaçada e foi corrompida. A Bíblia afirma que o Diabo é o pai da mentira. Ele entrou na vida do ser humano e tirou deste, aquilo que lhe era mais precioso. De lá para cá já sabemos: Mentira constitui a pior ameaça para a condição de liberdade. Minta na política, na religião, no casamento, aos amigos e estará condenado a um duro caminho de resgate da credibilidade. Talvez nunca mais consiga restaurar uma imagem de confiança.

    Cristo prometeu e enviou o Espírito da verdade. Em Cristo não há engano. Ele é o caminho, a verdade e a vida. Esse é o crescente da fé cristã. Pelo caminho certo, ao lado da verdade, encontra-se a vida. A vida só tem sentido e valor pleno se resgatada em toda sua essência. A essência da vida é a liberdade.

  • Pastor Alcione Eidam – Capelão